Kuka

O gato de Monte Cristo

Pirata.
Gato pirata era como todo mundo chamava um gato que morava em uma clínica psiquiátrica aqui no meu bairro.
Bairro Monte Cristo. Rua João O. Sarandy
Cachoeiro de Itapemirim, ES. Brasil. Continente americano. Terra, terceiro planeta no sistema solar. Galáxia Via Láctea.

O gato roubava nas casas de todos os moradores.
Isso se passou na década de 80.
As pessoas deixavam carne ou frango descongelando na pia, o gato roubava.
Matava passarinhos dentro das gaiolas.
Estava em alta ter porquinhos da Índia como animais de estimação, o gato matava os bichinhos.
Todo mundo odiava o gato.
Ninguém sabia a verdadeira origem do gato, tinha um monte de versões e para cada versão tinha uma testemunha.
Ah, o gato era chamado de pirata por que só tinha três pernas e era preto e branco com uma mancha preta no olho esquerdo.

Dizem que quando era filhote um carro atropelou ele na frente da clínica, cuidaram dele é ali ele ficou.
Dizem que os cachorros de uma oficina mecânica arrancaram a perna dele em uma briga.
Dizem que um cara cortou a perna dele para fazer uma simpatia para curar bronquite.
Dizem que ele já nasceu sem uma perna.

O vigia fa clínica jura que estava presente quando o carro o atropelou, um fusca da Polícia.

Tem o dono da oficina que também afirma que os cachorros arrancaram a perna do gato.

O cara que arrancou a perna do gato também diz que cortou a perna do gato e jogou o gato no pátio da clínica.

E tem o Toninho Amaral que tem um bar ao lado da clínica e jura que o Pirata é filho da gata dele e que já nasceu sem a perna.

Qual história é verdadeira eu não sei, mas o gato só tem três pernas e é odiado por todos.

O gato ficava na cumeeira da clínica, no telhado igual um gárgula.
As telhas da clínica eram todas quebradas, por que todo mundo que passava jogava uma pedra pra acertar o maldito gato, até tiro já deram nele.

A história é longa vou resumir.

O gato teve filhotes com a gata que o Toninho Amaral disse que era a mãe dele.

Um filhote saiu igual ao pai, preto e branco com u.a mancha no olho, mas normal com quatro patas.

Ficavam os três gatos no telhado.

Como a gata era do Toninho, ela era fácil de pegar.

Pegaram a gata, mataram ela e penduraram o corpo no muro da clínica.

O pirata veio ver, tinha mais de vinte pessoas entre adultos e crianças esperando ele com pedras nas mãos.

Quando pirata chegou perto, desceu uma chuva de pedras.
Tá tá tá tá tá ra tá tá.
O filho do pirata morreu na hora.
Pirata ferido, ainda conseguia correr, mas não desviava das pedradas.
Cansou e deitou, com sangue saindo pelos ouvidos e nariz.
Para acabar logo com aquilo, pegaram um paralelepípedo e jogaram em cima dele.
Pow!
Errou. Caiu do lado.
Pegaram outro, jogaram. Pow.
Errou. Caiu em cima do primeiro paralelepípedo.
Pegaram outro , quando iam jogar, o gato disparou correndo e entrou em manilha de esgoto. Entrou por uma fenda, uma rachadura que nem dava para acreditar que cabia um gato tão grande.

Uma semana depois, nós achamos o corpo do pirata dentro do esgoto.

Naquele mesmo dia a noite, teve um temporal.
Desabou chuva, caiu uma tromba d'água e inundou a casa de todos.

Todos correram para a clínica que era local mais alto.

Passamos a noite abrigados na clínica.
Todos os moradores perderam tudo, a água invadiu nossas casas.
Amanhecendo, o sol nascendo e todos viram o gato na cumeeira do telhado se espreguiçando e todos notaram que só tinha três pernas.

Fizemos ele morrer nos esgotos.
E ele fez os esgotos invadir as casas de todos ali.

Não mexa com criaturas que não aparentam ser normais, naturais.

1 Resposta

Responder