Voltar
Eu

Estagnada em mim

Em menos de um ano eu me torno oficialmente uma adulta, e apesar de tentar não ligar.. isso vem me dando uma certa "dor de cabeça"// ansiedade.
Eu sei que tenho que amadurecer em vários aspectos, mas até agora não tenho conseguido.
Tópicos que eu preciso resolver:
》(amigos)《
O meu "grande" leque de amigos (8 pessoas) vieram do ensino fundamental, mas no ensino médio mudei de escola então acabei me afastando deles e a nossa relação ficou bem saturada (sempre os mesmos assuntos, na vdd não tem mais nem assunto.. só aquele contato chato de "feliz aniversário", só restou saudade daqueles tempos msm))
Na nova escola fiz novos amigos e tals mas eu sou apegada demais as pessoas, apesar de quase sempre não demonstrar.. eu me sinto mal por não saber "andar/prosseguir" na vida(desapegar) e os meus antigos amigos não demonstrarem sentir a minha falta e tals.
》vida acadêmica/escola《
Eu não me acho a pessoa mais inteligente do mundo mas sempre me esforcei bastante na escola (sempre tirei boas notas, sempre me destaquei e sempre os professores me amaram por me esforçar) e talvez por isso os meus pais criaram uma espectativa muito alta em relação a possíveis aprovações minhas, isso me assusta muiiitooo porque eles acham que eu posso passar em tudo e se eu não passar vai ser um baque muito grande, tipo uma decepção pra eles.
E por causa dessa pandemia, como estou fazendo o ensino médio em uma escola Federal e não teve aula nenhuma, acabei perdendo um ano de estudos... e vi todos os meus amigos/conhecidos passarem uma série acima da minha.
Ainda tem o problema de que meus pais querem que eu passe numa prova do exército em que são umas 50 vagas pra mulheres no Brasil, então eu acho que é muiiita pressão.
》família《
Eu tenho alguns problemas pendentes em relação à família, hoje em dia eu me dou muito bem com eles mas acredito que tenho muitos traumas causados desde a minha infância. Eu sou a irmã mais velha, então sempre fui a mais responsável(sempre tive que me virar em algumas coisas), eu sempre soube demais tbm (vi brigas dos meus pais, sabia das brigas deles msm que não fosse por perto de mim, vi umas 2 vezes uma das pessoas que mais amo tentar se suicidar, sei de traições, de várias coisas que se talvez fossem evitadas eu seria totalmente diferente do que hj.
Quando entrei na pré-adolescência (lá com uns 12 anos) eu fiquei com um menino algumas vezes, um primo meu descobriu e contou aos meus pais, e meu pai acabou me castigando de uma forma muito pesada, ele restringiu as minhas saídas(Não podia nem ir em aniversários), tirou meu celular, praticamente me isolou do mundo kkk. E eu não tinha ninguém pra conversar sobre isso (Eu tinha vergonha de conversar até com a minha mãe pq me via em uma situação como se eu tivesse matado alguém, sla) então no período dessas restrições eu acabei ficando meio rebelde (muito estressada e desobediente com meus pais) eu na real estava muito triste, foi o período mais difícil da minha vida, eu entrava todo dia no quarto e chorava baixo pra ninguém me escutar (eu nunca soube demonstrar meus sentimentos, chorar em público e tals)... Eu entendo que com 12 anos eu não deveria estar beijando menininhos por aí e que o que os meus pais fizeram foi me proteger mas queria que a correção deles tivesse sido mais tranquila.
Então acho que tenho vários traumas causados desde criança.
》No geral《
No geral tem coisas que eu não consigo simplesmente aceitar e seguir a vida.
Quando criança eu gostava muito de qualquer esporte, participava de tudo.. Mas hj me culpo por não praticar nada.
Não consigo simplesmente aceitar que não tenho mais coisas em comum com meus antigos amigos e falar um "tudo bem" em relação a isso e seguir a vida.
Tenho medo do futuro e saudade do passado e acabo não vivendo o presente .

2 Respostas
  • A vida adulta vem dando rasteira kkk, a dois anos, eu era só um moleque cursando o segundo ano, com 10 melhores amigos, muito feliz, namorando e etc... Hoje tenho 18, sou formado, não moro mais com minha mãe "infelizmente", trabalho e vou pra faculdade, é estranho não ter mamãe bancando, ter responsabilidades, as vezes fico meio triste, mas não choro faz mais de 2 anos, desde que o meu tio faleceu. Se quiser conversar, é só chamar, meu nome é Filipe e eu tenho 18 anos.

  • tmbm tenho 17, e sinto que só vou deixar as coisas acontecerem esse ano e se n der certo, n vou conseguir continuar por muitas coisas que aconteceram nos últimos anos... n vejo minha mae faz mais de 1 ano por um problema que apareceu do nada, desde q meus pais se divorciaram, quando eu tinha 13, meu pai sempre morou longe, sei q ele se importa muito comigo, mas o jeito dele é difícil e ele me faz sentir pressionado por coisas em questão a vestibular, faculdade de uma maneira que tenho medo do fim desse ano, mas sei que não é a intensão dele, mas não da, tenho insônia, choro muito facil ao pensar nas coisas, sinto falta de abraços e sinto falta de poder tentar contar o que sinto, só com minha mãe falava um pouco sobre o que sentia de verdade, estou com minha vó desde que não pude mais ver minha mãe e meu gato que ficou com amigos dela, em uma coisa que era para ser apenas 2 semanas e agora ja faz mais de 1 ano, não consigo falar mais.

  • Dica: Para mencionar um usuário neste post utilize @NomeUsuario (sem espaços)
    Faça login ou crie uma conta para comentar
PUBLICIDADE